[email protected] (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 29 de novembro de 2017

ANÁLISE AGROLINK Soja com leves perdas nos EUA Sem grandes movimentações registradas Imagem créditos: Divulgação Por: AGROLINK -Leonardo Gottems Publicado em 29/11/2017 às 09:07h. 1 ACESSOS O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou nesta terça-feira (28.11) queda de 3,00 centavos de Dólar no contrato de Janeiro/18 (o mais negociado no momento), fechando em US$ 9,93 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com desvalorizações entre 2,50 e 3,00 pontos. O mercado norte-americano da soja teve mais um dia de ligeiras perdas nas principais cotações dos futuros, sem grandes movimentações registradas. Por um lado, há acompanhamento constante das previsões climáticas para a América do Sul. Por outro, os fundos de investimentos seguem ditando o ritmo com compras pontuais de posições. “A Bolsa de Chicago ficou na defensiva na sessão de hoje, com a soja em grão e farelo em retirada. A expiração do contrato de milho-dezembro tem impulsionado novas baixas, com a liquidação das posições compradas de fundos especulativos, o que ajuda no peso das demais commodities agrícolas operadas aqui na CBOT. As cotações se mostram com um tom cuidadoso de baixa, com o relatório de perspectivas do USDA para os próximos 10 anos não trazendo nenhuma grande variação nas perspectivas do mercado de longo prazo”, afirma a Consultoria AgResource (ARC). Os analistas destacam dados divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) segundo os quais no ano que vem (2018/19), os norte-americanos deverão plantar 36,82 milhões de hectares de soja, contra 36,5 milhões nesta atual safra 17/18: “Além do mais a projeção é similar ao próximo ano comercial de 19/20. O USDA também ressaltou que até 2027, os Estados Unidos deverão plantar até 37 milhões de hectares da oleaginosa. O que representa a falta de interesse em expansão e possivelmente um acréscimo da área de prevenção de plantio, subsidiada pelo Governo:

Sem grandes movimentações registradas.
 O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou nesta terça-feira (28.11) queda de 3,00 centavos de Dólar no contrato de Janeiro/18 (o mais negociado no momento), fechando em US$ 9,93 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com desvalorizações entre 2,50 e 3,00 pontos.

O mercado norte-americano da soja teve mais um dia de ligeiras perdas nas principais cotações dos futuros, sem grandes movimentações registradas. Por um lado, há acompanhamento constante das previsões climáticas para a América do Sul. Por outro, os fundos de investimentos seguem ditando o ritmo com compras pontuais de posições.

“A Bolsa de Chicago ficou na defensiva na sessão de hoje, com a soja em grão e farelo em retirada. A expiração do contrato de milho-dezembro tem impulsionado novas baixas, com a liquidação das posições compradas de fundos especulativos, o que ajuda no peso das demais commodities agrícolas operadas aqui na CBOT. As cotações se mostram com um tom cuidadoso de baixa, com o relatório de perspectivas do USDA para os próximos 10 anos não trazendo nenhuma grande variação nas perspectivas do mercado de longo prazo”, afirma a Consultoria AgResource (ARC).
Os analistas destacam dados divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) segundo os quais no ano que vem (2018/19), os norte-americanos deverão plantar 36,82 milhões de hectares de soja, contra 36,5 milhões nesta atual safra 17/18: “Além do mais a projeção é similar ao próximo ano comercial de 19/20. O USDA também ressaltou que até 2027, os Estados Unidos deverão plantar até 37 milhões de hectares da oleaginosa. O que representa a falta de interesse em expansão e possivelmente um acréscimo da área de prevenção de plantio, subsidiada pelo Governo.