[email protected] (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 3 de julho de 2017

‘Receita’ soma R$ 9,1 bilhões em MT:

Quase 50% dos mato-grossenses estão envolvidos no Sistema, o que coloca Mato Grosso em terceiro lugar no ranking de participação do país.

“A tendência em Mato Grosso é de crescimento do cooperativismo”, frisa o presidente do Sistema OCB/MT, Onofre Cezário de Souza Filho

As cooperativas de Mato Grosso contribuem para o desenvolvimento econômico e social do Estado. É o que demonstram os dados do Sistema OCB/MT – Organização das Cooperativas Brasileiras de Mato Grosso – referentes ao ano de 2016. No quesito ‘Receitas’, que são os valores disponíveis para os cooperados destinarem os recursos, foi na ordem de R$ 9,1 bilhões, nas 153 cooperativas registradas no Sistema OCB/MT, até 31 de dezembro do ano passado.

Mato Grosso é um dos estados brasileiros com maiores índices de participação da população no cooperativismo. Dados do Sistema OCB/MT mostram que 48,99% da população participaram de alguma forma do cooperativismo em 2016, um percentual 4% maior que o registrado em 2015. Nos últimos 16 anos esse aumento foi de 423%. Esses números colocam Mato Grosso em terceiro lugar no ranking de participação da população no cooperativismo.

Para o presidente do Sistema OCB/MT, Onofre Cezário de Souza Filho, “a tendência em Mato Grosso é de crescimento do cooperativismo. Eu defendo isso por vários fatores: nós somos grandes produtores de alimentos, pouco industrializado e temos muitos recursos, como as pastagens degradadas, que podem se transformar em alimentos”.

Ele ponderou ainda, que se “o carro chefe é o agronegócio, o agro familiar, eu vejo que não tem como segurar Mato Grosso nesse momento. O que está faltando para que esse movimento cresça mais rápido, nós já sabemos. Precisamos fazer a verticalização das indústrias, por e isso vai passar pelo cooperativismo, Precisamos ter lucidez para pensar dessa maneira, por isso sou otimista em relação ao crescimento do cooperativismo. Vejo que todos os ramos do cooperativismo crescerão juntos com o agronegócio”.

As cooperativas mato-grossenses possuem um ‘Ativo Total’ de R$ 13,7 bilhões, que é a parte positiva da posição patrimonial e identifica onde os recursos foram aplicados, representando os benefícios presentes e futuros da cooperativa. O ‘Patrimônio Líquido’ registrado foi de R$ 2,7 bilhões, o que representa a riqueza efetiva da cooperativa, dos seus cooperados. Isso inclui valor investido no negócio, sobras e outras formas de riqueza, entre eles, o capital da cooperativa advindo da cota-parte do cooperado – recursos integrados pelo cooperado à cooperativa a título de capital social.

O ‘Capital Integralizado’ até 31 de dezembro de 2016 nas cooperativas mato-grossenses foi de 1,5 bilhão, que representa a parcela do Capital Social dos cooperados que foi efetivamente colocada à disposição da cooperativa, em suas operações, de acordo com o seu objetivo social. Já o ‘Imobilizado’ representa R$ 706,4 milhões, que é formado pelo conjunto de bens necessários à manutenção das atividades da cooperativa, caracterizados por apresentar-se na forma tangível (edifícios, máquinas, etc.).

Além dos números positivos das cooperativas, os 396,216 mil cooperados receberam um montante de R$ 418 milhões referentes às chamadas Sobras Líquidas, que constituem das economias da cooperativa para os associados e, no final de cada ano, são distribuídas de acordo com o valor das operações realizadas por cada cooperado.

No Brasil existem cooperativas em 13 setores da economia e em Mato Grosso 11 desses ramos estão organizados. Essas cooperativas registradas no Sistema OCB/MT estão em 112, dos 141 municípios, o que corresponde a uma abrangência de 79% do território do Estado. São 396.216 mil associados e 8,56 mil empregos diretos, um aumento de 6% nos números de associados e empregados de 2015 para 2016, e nos últimos 16 anos o percentual foi de 418%.

O superintendente do Sistema OCB/MT, Adair Mazzotti, analisou que o aumento nos índices de crescimento do cooperativismo “é reflexo da resiliência e da capacidade do Sistema cooperativo para adaptar-se à conjuntura socioeconômica em preservar seus investimentos, tendo com seu principal atrativo as pessoas”.

A participação do cooperativismo na População Economicamente Ativa de Mato Grosso – PEA/MT – também cresceu 1% de 2015 para 2016, e saiu de 1.733 mil pessoas, para 1.742.878 mil. Nos últimos 16 anos esse aumento foi de 54%. Por outro lado, a população de Mato Grosso, segundo dados do IBGE, cresceu no período de 2000 a 2016, 32%, passando de 2.504.353 para 3.305.351 habitantes.

Mato Grosso fechou 2016 com 153 cooperativas registradas no Sistema OCB/MT, sendo 142 mato-grossenses e 11 vindas de outros estados brasileiros. São 56 cooperativas do Ramo Agropecuário, 19 de Crédito, 22 de Transporte, 16 do Ramo Saúde, 13 Educacionais, 10 do Ramo Trabalho, 7 do Ramo Mineral, Cooperativas de Consumo, Produção, Habitacional e Infraestrutura uma cooperativa cada.

BRASIL ;

Em momentos de crise econômica, como a que o Brasil está enfrentando destaca-se por seu papel relevante das cooperativas na geração de empregos. Enquanto o desemprego atinge quase 13 milhões de pessoas no país, as 6.751 mil cooperativas proporcionam 370,2 mil empregos diretos.

MUNDO ;

No mundo, as cooperativas são responsáveis por gerar mais de U$3 trilhões em receitas anuais, gerando mais de 250 milhões de empregos e possibilitando que mais de 1 bilhão de pessoas já tenham aderido ao movimento cooperativista.

DIÁRIO DE CUIABÁ