[email protected] (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 13 de março de 2017

Visita técnica apresenta nova cultivar de sorgo forrageiro e aborda produção de silagem:

Colheita sorgo sacarino trabalhadores trator - novembro de 2016 - Marina Torres/Embrapa /

Pecuaristas de Mato Grosso poderão conhecer na próxima quarta-feira, em um seminário e visita técnica realizados na Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop, uma nova cultivar de sorgo forrageiro. A BRS 658 foi lançada em 2016 pela Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) e é usada para a produção de silagem para o gado.

O evento será realizado das 8h às 12h e contará com duas palestras no auditório e uma visita ao campo, onde o público poderá ver de perto o cultivo da BRS 658.

A programação é direcionada para pecuaristas de leite e corte interessados na produção de silagem, técnicos, extensionistas e também para estudantes. As inscrições são gratuitas e poderão ser feitas no local.

Programação;

Na primeira palestra do dia, o pesquisador Flávio Tardin abordará aspectos gerais da cultura do sorgo, fazendo a distinção entre os quatro tipos: sorgo granífero, sorgo forrageiro, sorgo biomassa e sorgo sacarino. Ele também mostrará os usos do produto não só na alimentação animal, mas também na nutrição humana e como a planta pode ser inserida no sistema de produção, No caso do sorgo granífero, por exemplo, como alternativa de segunda safra.

“Queremos mostrar ao produtor que o sorgo é uma cultura tão nobre como a soja e o milho. Por isso deve receber a mesma atenção e o mesmo cuidado que as demais lavouras recebem”, afirma Tardin.

A segunda palestra será ministrada pelo pesquisador José Avelino Santos Rodrigues que falará sobre as boas práticas para a produção de silagem de sorgo. A atenção ao momento correto de fazer o corte da planta, por exemplo, é fundamental para garantir a qualidade e o desempenho da silagem.

BRS 658;

Após as palestras iniciais, os participantes irão para a vitrine tecnológica da Embrapa Agrossilvipastoril para conhecer a BRS 658. A cultivar se destaca pela estabilidade, baixo custo de produção, alta qualidade de forragem e pela produção média de 50 toneladas de massa verde por hectare.

O material também tem como característica porte alto, resistência ao acamamento, ciclo vegetativo ideal para ensilagem, colmos secos com excelente padrão fermentativo, alta porcentagem de grãos na massa (30 a 40% da matéria seca), proporcionando uma silagem de alta digestibilidade e alto teor proteico (média de 8-9% de proteína bruta).

Com ciclo de 100 a 110 dias até o ensilamento, a BRS 658 deve ser cultivada no verão, quando os dias são mais longos e a planta alcança o máximo de seu potencial vegetativo.

O pesquisador Flávio Tardin destaca o fato de que plantando o sorgo forrageiro no início do período chuvoso, o produtor tem a vantagem de poder aproveitar a rebrota da espécie.

“O sorgo rebrota, ele dá a possibilidade de dois cortes. Quando você o corta, dependendo da sanidade da lavoura, você faz uma adubação de cobertura e ele rebrota. Como o sistema radicular já está todo formado, o crescimento é rápido. Você consegue ou fazer um segundo corte, ou muita gente coloca o gado pastejar em cima dele”, explica Tardin.

SÓ NOTÍCIAS