[email protected] (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 16 de junho de 2016

Estiagem provoca prejuízo de R$ 17 mi em Alto Garças; Defesa Civil decreta emergência:

Estiagem provoca prejuízo de R$ 17 mi em Alto Garças; Defesa Civil decreta emergência

A Defesa Civil decretou situação de emergência no município de Alto Garças (310 km de Cuiabá) diante a forte estiagem, que assola a localidade desde janeiro, e que já provocou prejuízos na casa dos R$ 17 milhões. A falta de chuva trouxe grandes perdas para a cultura do milho, principalmente, no município. O decreto terá vigência de 180 dias.

A preocupação vivida pelos produtores mato-grossenses com a soja nesta safra 2015/2016 segue com o milho. A falta de chuvas no período do desenvolvimento da cultura em Mato Grosso deverá encolher em cerca de 5 milhões de toneladas a produção, em comparação a safra 2014/2015, de 26,199 milhões de toneladas para 21,244 milhões. A retração é apontada pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) em sua sétima estimativa de safra do milho. Segundo o relatório, ao se comparar com as estimativas de abril a queda é de 23,09 milhões para 21,24 milhões de toneladas.

A situação de emergência foi decretada pela Secretaria de Estado de Cidades (Secid), por meio da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil. De acordo com representantes da Defesa Civil que estiveram em Alto Garças, ao menos 1,6 mil pessoas foram atingidas pela estiagem.
O decreto de emergência foi emitido no último dia 14 de junho e homologado pelo Governo do Estado. O decreto terá vigência de 180 dias e com a medida os produtores prejudicados com a estiagem passam a ter amparo legal para negociar débitos com bancos e tradings, sem sofrer penalidades, cobranças de juros e multas.
Conforme a Secid e a Defesa Civil, ao menos 20 municípios em Mato Grosso tiveram em 2016 situação de emergência decretada.
Foram realizadas 21 visitas em municípios por equipes da Secid e Defesa Civil. As visitas foram em decorrência a situações críticas provocadas por chuvas intensas, erosão, tempestades e estiagem que destroem as lavouras. Entre as cidades que acionaram a Defesa Civil, após registros de enxurradas, por exemplo, estão Vila Bela da Santíssima Trindade, Porto Esperidião e Pontes e Lacerda.
Em março, como o Agro Olhar já comentou, o município de Ipiranga do Norte teve situação de emergência decretada, após a constatação de quebra na safra de soja. No município chegou-se a registrar em algumas propriedades produtividade de 15 sacas por hectare, quando a média era de 55 a 60 sacas. Outro município a decretar situação de emergência na ocasião foi Sorriso, também por baixa produtividade provocada pela forte estiagem na safra de soja.
Caso de enxurradas
Segundo a Secid, em 2015 o Governo Federal liberou para Mato Grosso R$ 36,2 milhões para a reconstrução de cidades que sofreram intemperes naturais.
No caso de Alto Garças, explica a Defesa Civil, não está previsto auxílio financeiro, pois o que ocorreu no município foi ausência de chuva, não tendo desta forma ocorrência de destruição ou danos à cidade.

 

FONTE: AGRO OLHAR