sementes.petrovina@petrovina.com.br (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 8 de junho de 2018

Soja despenca com liquidação em Chicago:

Fundos foram às vendas com falta de definições na tendência da soja nos Estados Unidos.

O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou na quinta-feira (07.06) uma baixa de 20,00 centavos de Dólar no contrato de Julho/18, fechando em US$ 9,7425 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com desvalorizações de 18,75 até 20,00 pontos.

O mercado norte-americano da soja teve um dia de fortes perdas nos principais contratos futuros, resultado de vendas ativas por parte de Fundos de Investimento. De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, as fortes liquidações ocorreram pela falta de definições na tendência da soja nos Estados Unidos, nem no que diz respeito ao clima, nem no que se refere à disputa comercial com a China, que prometeu adquirir produto norte-americano – o que ainda não ocorreu.

Para a Consultoria AgResource, as cotações hoje se viram pressionadas por mais um dia de reversão de posição e aversão ao risco:

“Fundos de investimento continuam na caminhada do encerramento dos contratos de compra abertos nas últimas semanas, uma vez que as incertezas comerciais do embate EUA e China continuam alarmando o Mercado. Além do mais, apesar de um começo de safra extremamente favorável nos Estados Unidos, ainda não há nenhuma tendência meteorológica definida para as próximas semanas, principalmente sobre o Cinturão Agrícola e o Delta do Mississippi – as principais regiões sojicultoras”.

“Apesar de uma inclinação para temperaturas mais quentes durante o verão norte-americano (junho – agosto), o fator de limitante a definição de um teto produtivo será a incidência de chuvas. Sem nenhuma clareza sobre o tema da China e EUA, nem mesmo das projeções climáticas estadunidenses, as cotações continuarão sem uma tendência clara definida. As exportações da soja dos EUA passam por mais uma fraca semana, com apenas 164 mil tons vendidos em contratos para entrega até agosto deste ano”, conclui a ARC.

 

AGRO LINK