sementes.petrovina@petrovina.com.br (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 16 de março de 2018

Soja sobe também no Brasil:

Pela forte elevação de 0,9% do Dólar norte-americano.

As cotações da soja tiveram na quinta-feira (15.03) um dia de ganhos no mercado físico brasileiro, acompanhando as valorizações da Bolsa de Chicago (CBOT). De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, em média os preços subiram 0,58% nos portos e 0,39% no interior do País.

O analista da T&F Luiz Fernando Pacheco ressalta que os preços da soja foram grandemente impulsionados nesta quinta-feira pela forte elevação de 0,9% do Dólar no Brasil, mais uma forte retomada da cotação em Chicago de 1,2%. “Mas os preços da soja não estão subindo: estão, andando de lado em níveis até inferiores aos que já estiveram a cinco dias atrás”, alerta o especialista.
“Mas, há motivos para a alta: as trapalhadas do presidente Trump só são maléficas para a soja americana, como o mercado começa a perceber. Mas, podem ser benéficas para a soja brasileira, que é a alternativa que a China tem para se abastecer (parcialmente) no mercado mundial, uma vez que a Argentina parece que terá uma grande redução de área. Tudo vai depender da reação chinesa”, complementa Pacheco.
FUNDAMENTOS;

Relatório semanal de acompanhamento das culturas da Emater-RS revela que a soja do Rio Grande do Sul vem evoluindo rapidamente para o estágio de maturação fisiológica. As primeiras áreas colhidas estão apresentando produtividade dentro do esperado, mas abaixo da expectativa criada pelos produtores que, em meados de fevereiro, ainda desejavam obter rendimentos similares aos do ano passado. Em áreas onde não houve diminuição das chuvas, as produtividades ultrapassam, em alguns casos, 70 sacas por hectare (4,2 mil kg/ha). No momento a colheita atinge 3% do total plantado nesta safra.

AGRO LINK