sementes.petrovina@petrovina.com.br (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 1 de março de 2018

Soja sobe forte com seca na Argentina:

Chicago atingiu as máximas em um ano.
 O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou na quarta-feira (28.02) alta de 7,00 centavos de Dólar no contrato de Março/18 (referência para o Brasil), fechando em US$ 10,45 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com valorizações entre 5,25 e 7,00 pontos.
O mercado norte-americano da soja teve mais uma sessão de ganhos nos principais contratos futuros, atingindo as máximas em um ano. A T&F Consultoria Agroeconômica aponta que as cotações foram impulsionadas pela forte elevação do farelo, que subiu 1,4% para o contrato de maio e chegou ao valor mais alto dos últimos 19 meses para o primeiro mês cotado.
De acordo com a AgResource, está sendo adicionado prêmio climático nos preços: “O padrão meteorológico global não apresenta mudanças nas últimas 48 horas. No geral, o foco especulativo ainda continua na seca em expansão na Argentina. Ainda não há outros fortes fundamentos no direcionamento do Mercado no curto-prazo. Operadores continuarão concentrados nas variações climáticas para a América do Sul até meados de março, quando atenções na safra norte-americana começa a ser um fator de maior importância na composição dos preços”.
“Na safra 2008/09, a última grande seca na Argentina, as produtividades (em média) foram 28% abaixo da linha de tendência normal. Se o mesmo for aplicado para o atual ano, números de 41-42 MT podem se tornar uma realidade contra os 58 MT produzidos na safra 2016/17. Uma quebra de produção expressiva em tais níveis poderá ser além do que o Mercado espera. No entanto, ainda é cedo para tais afirmações. Mais dados de colheita devem ser recebidos para melhores conclusões”, concluem a ARC.