sementes.petrovina@petrovina.com.br (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 19 de dezembro de 2017

MT projeta maior queda inicial do país:

Dados revelam um recuo anual de mais de 330 mil hectares. Expectativa será revista em fevereiro, trazendo um cenário mais próximo da realidade.

Os principais motivos para a perda de área na segunda safra são o atraso no plantio da soja, que deixa a janela de plantio do milho mais curta e os preços pouco atraentes do cereal, que não estimulam os produtores a estenderem o plantio para muito além da janela ideal. As maiores quedas de área são esperadas em Mato Grosso e Goiás.

Com base na linha de tendência de produtividade, a produção do Centro-Sul estimada para 2018 fica em 54,9 milhões de toneladas, contra 63,5 milhões na safrinha 2017.

Conforme a analista da AgRural, Daniele Siqueira, nessa primeira estimativa, Mato Grosso projeta um recuo anual de pouco mais de 330 mil hectares. A área a ser semeada a partir de meados de janeiro deve passar de 3,76 milhões de hectares cobertos em 2017 para 3,43 milhões, redução de 8,9%.

 “Como neste primeiro momento a gente trabalha com linha de tendência de produtividade, teremos números de produtividade e produção por estado no início de fevereiro”, explica Daniele.
 Para o Norte/Nordeste, a AgRural não faz estimativa de área de milho, devido ao calendário mais tardio. Por isso, por enquanto a AgRural considera estabilidade na área da região, até que a Conab comece as estimativas para a safrinha 2018, em fevereiro. Combinando a área da AgRural para o Centro-Sul com a área da Conab para o Norte/Nordeste, a área plantada no Brasil fica, por ora, em 10,8 milhões de hectares, contra 12,1 milhões na safrinha passada.

Aplicando-se a linha de tendência de produtividade a essa área, a produção brasileira é calculada em 59,2 milhões de toneladas – 8 milhões abaixo da safrinha 2017. Com esse número preliminar, a produção total de milho do Brasil (verão e safrinha) chega a 84,1 milhões de toneladas, com queda anual de 13,5 milhões de toneladas.

 SOJA – Com 96% da área brasileira de soja semeada até quinta-feira da semana passada (07), a AgRural concluiu os levantamentos de plantio da safra 2017/18. As plantadeiras ainda estão em campo no Matopiba e no Rio Grande do Sul, mas já na reta final dos trabalhos.

Nesta semana, o Matopiba voltou a receber boas chuvas, conforme estava previsto. No Sul, por outro lado, o tempo quente e seco preocupa os produtores, especialmente os que possuem áreas de milho em fase reprodutiva. Mas a região deve voltar a receber precipitações a partir de meados da semana que vem e, por enquanto, não se pode falar em perdas de produtividade, especialmente no caso da soja.

DIÁRIO DE CUIABÁ