sementes.petrovina@petrovina.com.br (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 25 de julho de 2016

Situação de Emergência por estiagem em Nova Ubiratã é prorrogada:

Situação de Emergência por estiagem em Nova Ubiratã é prorrogada

A Situação de Emergência em decorrência da estiagem em Nova Ubiratã foi prorrogada por mais 90 dias. Os produtores que sofreram com a ausência de chuva durante a safra de soja, enfrentam agora problemas nas lavouras de milho. Um laudo apontando as perdas em várias propriedades rurais foi apresentado para a Prefeitura do município, que decidiu prorrogar o decreto publicado em março deste ano.

O laudo foi apresentado para a Prefeitura de Nova Ubiratã pelo Sindicato Rural do município, pela Secretaria Municipal de Agricultura e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

A Prefeitura havia em março, por meio do Decreto 017/2016, declarado Situação de Emergência no município diante a estiagem nas lavouras de soja. A base econômica de Nova Ubiratã é o setor agropecuário, com destaque para a produção de soja e milho.

O presidente do Sindicato Rural de Nova Ubiratã, Albino Castilho Ruiz, pontua que a falta de chuva no milho, assim como na soja, causou inúmeras perdas e prejuízos para os produtores rurais e consequentemente para o município, uma vez que a agricultura é a principal fonte de receita.

O Decreto de Situação de Emergência, como o Agro Olhar já comentou, pode garantir reparações legais aos produtores rurais quanto ao cumprimento de seus compromissos com compradores e bancos financiadores, por exemplo, pois trata-se de um prejuízo provocado por questões climáticas.

O Sindicato Rural de Nova Ubiratã, diante a situação, orienta os produtores afetados pela estiagem a buscar pela renegociação amigável com o comprador do cereal, diante as vendas antecipadas e as dificuldades para entrega do produto.

Mato Grosso tinha em dezembro de 2015 53,54% do cereal comercializado, considerado as 20,223 milhões de toneladas previstas atualmente, conforme levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

FONTE: AGRO OLHAR