sementes.petrovina@petrovina.com.br (66) 2101-4000 Acesso Restrito

Notícias e Novidades

publicado em 25 de julho de 2016

Produtores financiaram mais custeio e menos investimento na última safra 25/07/2016 07:46 Soja plantio fase de 2 meses 2013 6 (Sn) / Os grandes e médios produtores rurais do Brasil utilizaram 77% dos recursos disponibilizados no Plano Safra para o período 2015/2016, encerrado oficialmente no dia 30 de junho. De acordo com o Ministério da Agricultura (Mapa), foram R$ 144,54 bilhões de um total de R$ 187,7 bilhões disponibilizados na temporada passada. O Ministério informa que 78% dos recursos para custeio e comercialização foram contratados. O valor corresponde a R$ 117,3 bilhões dos R$ 149,5 bilhões reservados para esta finalidade. Em relação à safra passada, as taxas de crescimento na demanda por recursos para essas modalidades de financiamento foram de 27,5% e 16,3%, respectivamente. Nos recursos controlados, com taxas subsidiadas pelo governo federal, a demanda, de R$ 93,73 bilhões, foi maior que o volume disponível, de R$ de 96,5 bilhões. Nos financiamentos de custeio e comercialização a juros livres, com operações a taxas de mercado, a proporção foi de 39%, com a contratação de R$ 20,5 bilhões dos R$ 53 bilhões colocados à disposição. A demanda de recursos para investimentos correspondeu a 71% do total disponibilizado. Foram contratados R$ 27,2 bilhões dos R$ 38 bilhões programados para o período de primeiro de julho de 2015 a 30 de junho de 2016. O volume utilizado foi 29% menor que o registrado na safra 2014/2015. Em nota, o Ministério da Agricultura avaliou que essa queda nos investimentos estava prevista, já que o Plano Agrícola e Pecuário para a última safra “priorizou o custeio”:

Os grandes e médios produtores rurais do Brasil utilizaram 77% dos recursos disponibilizados no Plano Safra para o período 2015/2016, encerrado oficialmente no dia 30 de junho. De acordo com o Ministério da Agricultura (Mapa), foram R$ 144,54 bilhões de um total de R$ 187,7 bilhões disponibilizados na temporada passada.

O Ministério informa que 78% dos recursos para custeio e comercialização foram contratados. O valor corresponde a R$ 117,3 bilhões dos R$ 149,5 bilhões reservados para esta finalidade. Em relação à safra passada, as taxas de crescimento na demanda por recursos para essas modalidades de financiamento foram de 27,5% e 16,3%, respectivamente.

Nos recursos controlados, com taxas subsidiadas pelo governo federal, a demanda, de R$ 93,73 bilhões, foi maior que o volume disponível, de R$ de 96,5 bilhões. Nos financiamentos de custeio e comercialização a juros livres, com operações a taxas de mercado, a proporção foi de 39%, com a contratação de R$ 20,5 bilhões dos R$ 53 bilhões colocados à disposição.

A demanda de recursos para investimentos correspondeu a 71% do total disponibilizado. Foram contratados R$ 27,2 bilhões dos R$ 38 bilhões programados para o período de primeiro de julho de 2015 a 30 de junho de 2016. O volume utilizado foi 29% menor que o registrado na safra 2014/2015. Em nota, o Ministério da Agricultura avaliou que essa queda nos investimentos estava prevista, já que o Plano Agrícola e Pecuário para a última safra “priorizou o custeio”.

FONTE: SÓ NOTÍCIAS